Arquivo da categoria: entrevista

Mariluce Moura: ‘Redes sociais são fundamentais na disseminação de informação, formatos e experimentação’

Por Carolina Medeiros

“A divulgação científica tem ligação mais direta com a mobilização, motivação e educação de determinados grupos sociais. Já o jornalismo científico tem só ligação indireta com isso – ainda que, no seu compromisso com o público, esteja servindo a uma ideia de cidadania e a uma noção de formar, criar cidadãos, em determinada sociedade”. Continue lendo Mariluce Moura: ‘Redes sociais são fundamentais na disseminação de informação, formatos e experimentação’

‘Sucesso da MPB se deve a engajamento político somado a refinamento musical e poético que veio da bossa nova’

Beatriz Maia entrevista José Roberto Zan

José Roberto Zan, professor do Departamento de Música do Instituto de Artes da Unicamp, explora os caminhos e as conjunturas que favoreceram a formação da música popular brasileira. Fala também sobre a hierarquização que separa as composições elitizadas das manifestações de periferias, como a “higienização do samba”, e comenta as contradições da produção musical. Continue lendo ‘Sucesso da MPB se deve a engajamento político somado a refinamento musical e poético que veio da bossa nova’

Política governamental e modernização do ensino são essenciais para a indústria 4.0

Por Sophia La Banca de Oliveira

Francisco Ignácio Giocondo Cesar, professor do Instituto Federal de São Paulo, defende que, para se manter competitivo, o Brasil precisa estabelecer parcerias entre universidades e indústrias e criar políticas de longo prazo. Continue lendo Política governamental e modernização do ensino são essenciais para a indústria 4.0

Roberto Romano: Privatização sem freios e populismo anti-imigração são faces da mesma moeda

Por André Gobi, Erica Mariosa e Marcos Botelho Jr.

Enquanto a primeira distribui desemprego e miséria, o segundo encontra os culpados nos imigrantes. É a receita que gerou o nazismo no século XX, e provavelmente fará renascer o fascismo no mundo, e no Brasil. O domínio capitalista gera nas massas urbanas já estabelecidas imensos exércitos de reserva e, sem emprego, o medo aumenta entre os “negativamente privilegiados”. É a hora das receitas milagrosas: na economia, a privatização enquanto remédio universal, aplicado segundo critérios do “mercado”, abstração rendosa para os que possuem a quase totalidade das riquezas. De outro lado, temos o populismo que promete o retorno “dos velhos e bons tempos” quando os brancos pobres seriam amparados e teriam emprego, perdido com o advento dos “inferiores” negros, árabes, latinos. Continue lendo Roberto Romano: Privatização sem freios e populismo anti-imigração são faces da mesma moeda

Antônio Arantes: reconhecer diferença não é estimular o ódio, o ódio étnico que tem sido tão fomentado

Por Beatriz Maia

Em um país com tamanha diversidade cultural, os bens culturais celebrados como patrimônios imateriais da nação são o ponto de partida para uma discussão sobre a cultura brasileira e as inúmeras influências.
Continue lendo Antônio Arantes: reconhecer diferença não é estimular o ódio, o ódio étnico que tem sido tão fomentado

Daniel Cerqueira: ‘Taxa de homicídio no Brasil é fruto de país arcaico e racista’

Por Carolina Medeiros

Ineficácia do armamento pela população, racismo, machismo e desigualdades sociais são temas abordados por Daniel Ricardo de Castro Cerqueira, um dos coordenadores do Atlas da violência, publicado pelo Ipea. “Eu diria que as desigualdades sociais, políticas e econômicas, bem como a descomunal taxa de homicídio no Brasil, são frutos de uma mesma árvore: um país arcaico e racista, cujas elites possuem mentalidade ainda escravocrata, em que é naturalizada a ideia de privilégios para poucos, em detrimento do bem comum”.
Continue lendo Daniel Cerqueira: ‘Taxa de homicídio no Brasil é fruto de país arcaico e racista’

Ildeu Moreira: Por falta de visão, política e recursos, há muitos desafios para criar cultura científica

Por Phillipe Pessoa 

O presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) aborda pontos fundamentais da política científica e tecnológica do Brasil, os desafios frente aos drásticos cortes de verbas e aponta caminhos para que a ciência dê subsídios ao crescimento e desenvolvimento do país. Ildeu de Castro Moreira é professor do Instituto de Física da UFRJ e trabalha nas áreas de física teórica, história da ciência e comunicação científica.
Continue lendo Ildeu Moreira: Por falta de visão, política e recursos, há muitos desafios para criar cultura científica

Luiz Bras: Nosso tempo precisa de novos mitos, não dualistas, que incluam e equilibrem as mais diferentes polaridades

Por Janaína Quitério

Escrever contos e romances sobre criaturas moldadas em laboratório ou puramente eletrônicas é se relacionar com o outro. Com o estranho estrangeiro que nasceu de nós mesmos, mas apresenta outra subjetividade. Isso nos obriga a sair da rotina e pensar formas desconhecidas de interação política e comunicação afetiva. Continue lendo Luiz Bras: Nosso tempo precisa de novos mitos, não dualistas, que incluam e equilibrem as mais diferentes polaridades

Tira-dúvidas: Febre amarela

A febre amarela

O surto da forma silvestre da febre amarela começou em dezembro de 2016 em Minas Gerais e, hoje, já atinge pelo menos 19 estados brasileiros. Segundo divulgado pelo Bio-Manguinhos, Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, “a maior preocupação da comunidade médica está na eventual transformação do surto em epidemia e a evolução da forma silvestre para a urbana. As autoridades de saúde estão avaliando se, depois da atual política de contenção, a estratégia de vacinação contra a doença deve se estender a uma parcela maior da população”.

Por Graziele Souza Continue lendo Tira-dúvidas: Febre amarela