Arquivo da categoria: entrevista

ARQUIVO (2014): ‘Gás natural associado ao óleo do pré-sal vai dotar o Brasil de independência em petroquímica e autossuficiência em fertilizantes’, diz Guilherme Estrella

“Soberania verdadeira só se materializa com investimentos permanentes em educação e pesquisa, que se realizam em instituições nacionais, públicas ou privadas. Empresas cujos centros de decisão localizam-se no exterior não farão isso”, afirmava há 8 anos o pai do pré-sal Continue lendo ARQUIVO (2014): ‘Gás natural associado ao óleo do pré-sal vai dotar o Brasil de independência em petroquímica e autossuficiência em fertilizantes’, diz Guilherme Estrella

Maria Júlia Kovács: ‘Estamos em luto coletivo longo, com um presidente que fala coisas que nos horrorizam’

Por Letícia Naísa

crédito da imagem: Cris Vector

“O luto é um processo singular e próprio de cada pessoa, mas guerras, grandes desastres, naturais ou não, e a pandemia, que é uma grande crise sanitária e virou um desastre, atinge a todos. Nesse sentido, é coletivo sim. Dentro desse coletivo, temos nossas próprias formas de lidar com as circunstâncias. A pandemia não nos afetou igualmente, alguns de nós perdemos pessoas, outras não perderam ninguém por morte, mas perderam situações de vida significativas, como a casa, o emprego. Em um contexto como esse, a gente se comove com a situação de outras pessoas também, como quem perdeu alguém, pessoas que sofreram muito com a doença, ficaram com sequelas, mesmo que sejam pessoas que a gente nunca tenha visto na vida.” Continue lendo Maria Júlia Kovács: ‘Estamos em luto coletivo longo, com um presidente que fala coisas que nos horrorizam’

Ubiraci Pataxó: Viver o luto já está comum, mas a gente transformou em ‘vai nos dar força’

Por Dimítria Coutinho

Nascido e criado na comunidade indígena Coroa Vermelha, em Santa Cruz Cabrália (BA), aprendiz de pajé e pesquisador no grupo Saúde Coletiva, Epistemologias do Sul e Interculturalidades, da Universidade Federal do Sul da Bahia, fala sobre o sentido do tratamento comunitário dos povos indígenas. Continue lendo Ubiraci Pataxó: Viver o luto já está comum, mas a gente transformou em ‘vai nos dar força’

Patricia Pinho: ‘Na crise climática estamos sob a mesma tempestade, mas com barcos diferentes’

 Por Leandro Magrini

Cientista do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) ressalta em entrevista que status socioeconômico, cor da pele ou lugar de moradia tem muito a ver com o grau de exposição e vulnerabilidade às mudanças do clima. “Todo mundo vai ser afetado, mas algumas populações estão na linha de frente, as populações mais vulneráveis. A marginalização é a geografia onde os riscos se projetam, se materializam”, diz a doutora em ecologia humana pela Universidade da Califórnia. “São justamente os países subdesenvolvidos do Sul Global – que pouquíssimo ou praticamente nada contribuíram para o agravamento da crise climática – que estão sofrendo os maiores impactos.” Continue lendo Patricia Pinho: ‘Na crise climática estamos sob a mesma tempestade, mas com barcos diferentes’

Naomar de Almeida: Além de acesso, ações afirmativas devem transformar currículos

Por Ricardo Muniz

O epidemiologista Naomar de Almeida Filho, reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) de 2002 a 2010 e reitor pro-tempore responsável pela implantação, entre 2013 e 2017, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), chama atenção para um transbordamento da política de inclusão de negros e negras na graduação, além de indígenas e quilombolas, que é a demanda por reestruturação radical de currículos e arquiteturas curriculares. Em sua avaliação, é urgente que as instituições avancem para que essas mudanças não sejam tópicas, apenas relacionadas ao acesso. “As universidades continuam com modelos curriculares muito atrasados e não se prepararam para receber esse contingente de pessoas que vem de histórias familiares e sociais distantes da cultura universitária.” Continue lendo Naomar de Almeida: Além de acesso, ações afirmativas devem transformar currículos

Alik Wunder: ‘Como a universidade pode dialogar com a riqueza dos conhecimentos indígenas?’

Por Renan Augusto Trindade

Alik Wunder é professora do Departamento de Educação, Conhecimento, Linguagem e Arte na Faculdade de Educação da Unicamp. Pesquisa educação, cultura, filosofia contemporânea e imagem, em especial, fotografia. Coordena desde 2010 o Coletivo Fabulografias, que desenvolve atividades de pesquisa e de extensão com criações audiovisuais em torno das culturas africanas, afro-brasileiras e indígenas. Preside, dentro da diretoria executiva de Direitos Humanos da Unicamp, a Comissão para a Inclusão e Participação dos Povos Indígenas (CAIAPI). É co-autora do livro Casa dos saberes ancestrais – Diálogos com sabedorias indígenas. Continue lendo Alik Wunder: ‘Como a universidade pode dialogar com a riqueza dos conhecimentos indígenas?’

Demi Getschko: Assim como a liberdade de expressão, responsabilidade deve ser ampla e total

Por Ludimila Honorato

Pioneiro da internet no Brasil, o engenheiro Demi Getschko avalia que o Marco Civil da Internet, implementado há sete anos, é uma forte ferramenta para combater fake news, mas alguns pontos precisam ser revisados. O principal, segundo ele, é definir melhor quem são os provedores de conteúdo e quais seus direitos e deveres. Continue lendo Demi Getschko: Assim como a liberdade de expressão, responsabilidade deve ser ampla e total