Arquivo da categoria: entrevista

Luiz Gonzaga Belluzo: ‘Austeridade, agora, significa prolongar a crise’

Por Paulo Markun, 8 de maio de 2020

“Crise será muito profunda e, se não for enfrentada de maneira adequada, prolongada. Digo sempre que as crises são diferentes, porém iguais. Porque, na verdade, você está operando na mesma estrutura de produção, emprego e de convivência social.”

Continue lendo Luiz Gonzaga Belluzo: ‘Austeridade, agora, significa prolongar a crise’

João Carlos Salles: ‘Será impossível não utilizar mais e mais ações remotas. Mas temos que fazer isso garantindo a qualidade da universidade”

Por Paulo Markun, 13 de maio de 2020

“A universidade não é um repositório de conteúdos disparados para as pessoas, é um lugar de formação, não é de informação simplesmente, é um espaço de convívio de gerações, de confrontação de ideia e de saberes.  Lembre-se do princípio fundamental da autonomia das universidades: a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Será que nós podemos garantir isso no espaço virtual?”

Continue lendo João Carlos Salles: ‘Será impossível não utilizar mais e mais ações remotas. Mas temos que fazer isso garantindo a qualidade da universidade”

Sérgio Mamberti: ‘Foi falha histórica não ter direcionamento devido sobre o império da mídia’

Por Paulo Markun, 20 de maio de 2020

“Acho que o ser humano tem essa capacidade de se reinventar, vamos nos reinventar. Nesse sentido, é uma oportunidade para reconstruir um processo de um convívio do ponto de vista social, político ou da cultura, que terá um papel marcante. O universo da ciência e todas as relações com cultura, educação e comunicação certamente terão papel preponderante nessa nova construção.”

Continue lendo Sérgio Mamberti: ‘Foi falha histórica não ter direcionamento devido sobre o império da mídia’

Celso Amorim: ‘Antes do desastre diplomático bolsonarista, Brasil era o parceiro estratégico preferencial da China’

Por Ricardo Muniz

Celso Amorim foi ministro das Relações Exteriores (1993-1995, governo Itamar Franco, e 2003-2010, no governo Lula) e ministro da Defesa (2011-2015, governo Dilma Rousseff). Em 2009, foi apontado por David Rothkopf, comentarista da revista norte-americana Foreign Policy, como “o melhor chanceler do mundo”. Entrevista concedida por telefone em 18 de fevereiro de 2021. “O Brasil era parte ativa dos BRICS, e dos quatro parceiros originais, três são os maiores produtores de vacina anti-Covid, ou dos fármacos/insumos para a vacina. Índia, China e Rússia. Era para estarmos inundados de vacina! Então você vê o desastre que tem sido a política externa brasileira.”

Foto: Guilherme Santos Continue lendo Celso Amorim: ‘Antes do desastre diplomático bolsonarista, Brasil era o parceiro estratégico preferencial da China’

Energia para todos com baixa emissão de carbono: os desafios globais e a realidade brasileira da transição energética

Por Verónica Savignano

Não há tecnologia que atuará como bala de prata da transição energética. É necessário abrir diversas frentes incluindo obviamente as renováveis como solar, eólica e etanol, assim como tecnologias do futuro, como geração verde de hidrogênio e armazenagem de energia. Entrevista com Flávia Cassiola e Camila Brandão. Continue lendo Energia para todos com baixa emissão de carbono: os desafios globais e a realidade brasileira da transição energética

Hélio Oiticica e uma vida de oposição ao colonialismo artístico

 Por Daniel Pompeu

“O que o Hélio queria era justamente propor uma arte brasileira de vanguarda com características que colocam em xeque o peso cultural milenar dos europeus e as demandas norte-americanas. Há uma busca e uma vontade centrada em afirmar sua própria terra, o Brasil”, afirma Annelise Estrella Galeazzi, pesquisadora da obra e trajetória do artista. Continue lendo Hélio Oiticica e uma vida de oposição ao colonialismo artístico