Arquivo da categoria: reportagem

Quando a novela da Globo dá uma forcinha para a literatura

Por Ana Augusta Odorissi Xavier e Rafael Revadam

Cresce também a influência de “guias”, que por meio das redes sociais dão palpites e dicas sobre quais livros ler (com todo cuidado para não soarem acadêmicos). Continue lendo Quando a novela da Globo dá uma forcinha para a literatura

Censura é uma herança que não foi superada no Brasil

Por Luciana Rathsam

Entre 200 e 450 obras literárias consideradas subversivas ou contrárias à moral e aos bons costumes foram censuradas durante o regime militar. A caça a livros socialistas, eróticos ou pornográficos operava a partir de denúncias. Já nas origens do país, a coroa portuguesa proibia que fossem publicados impressos no Brasil, ordem só revertida em 1808. Os livros que desembarcavam na colônia eram submetidos a uma triagem realizada por três instituições diferentes. As recentes tentativas de censura causaram fortes mobilizações e acabaram revertidas no Judiciário, o que na visão de especialistas é motivo para um “moderado otimismo”. Continue lendo Censura é uma herança que não foi superada no Brasil

Os verbos ‘ler e viajar’ conjugados dentro de uma biblioteca comunitária

Por Adriana Giachini e Maria Clara Guimarães

“Quem diz que as bibliotecas estão fora de moda não sabe o que está dizendo. Pelo contrário. Elas se fortalecem cada vez mais, contando parte da história de resistência das periferias. Vemos a oralidade indo para o papel, o crescimento das editoras pequenas, dos livros de autores locais, produzidos independentemente”, diz Bel Santos Mayer, gestora da biblioteca comunitária Caminhos da Leitura, em Parelheiros (zona sul de São Paulo) e coordenadora do LiteraSampa, uma rede de 14 bibliotecas em regiões periféricas da capital. Continue lendo Os verbos ‘ler e viajar’ conjugados dentro de uma biblioteca comunitária

Iniciativas diversas procuram criar hábito de leitura em um país que lê pouco

Por Caroline Marques Maia e Vinícius Nunes Alves

Uma pesquisa Ibope de 2016 apontou que 44% dos brasileiros não têm hábito de ler e 30% nunca compraram um livro. Além disso, na comparação com a média de 4,96 livros lidos por pessoa ao ano, 2,53 não são terminados. Nesse cenário desolador, surgem iniciativas de incentivo à leitura como redes sociais de leitores, clubes de assinatura de livros, youtubers especializados em literatura, minibibliotecas comunitárias e a atuação em escolas públicas de educadores responsáveis exclusivamente pela sala de leitura e por contar histórias. Continue lendo Iniciativas diversas procuram criar hábito de leitura em um país que lê pouco

Mercado editorial no Brasil: números da crise e perspectivas

Por Carolina Sotério e Raquel Torres

O ramo dos livros científicos, técnicos e profissionais encolheu 45% entre 2014 e 2018. No setor como um todo, em 2018 foram produzidos 43 milhões de livros a menos do que em 2017. Para criar uma geração de leitores de mais qualidade, é preciso cultivar hábitos de leitura de pai para filho, diz especialista. “Escola tem muito a contribuir, mas não sozinha.” Continue lendo Mercado editorial no Brasil: números da crise e perspectivas

Ativismo climático: uma possibilidade de futuro em meio ao caos

Por Camila Ramos, Carolina Sotério e Raquel Torres

Tendo ganhado visibilidade nas mídias recentemente, o movimento pelo clima tem unido forças ao redor do mundo em busca de salvar o planeta.

Continue lendo Ativismo climático: uma possibilidade de futuro em meio ao caos

O que dizem os cientistas sobre as mudanças climáticas?

Por Rafael Revadam, Júlia Ramos de Lima e Adriele Eunice da Silva

Segundo relatório do IPCC, o planeta está atingindo temperaturas críticas, que podem afetar desde paisagens naturais a sistemas econômicos e humanos Continue lendo O que dizem os cientistas sobre as mudanças climáticas?

Como populações tradicionais ao redor do mundo percebem e são afetadas pelas mudanças climáticas?

Por Tainá Scartezini e Laura Segovia Tercic

O termo “climate frontlines”, ou “linhas de frente do clima”, foi adotado para se referir aos locais do planeta mais severamente atingidos pelas mudanças climáticas. Em tais ambientes “as mudanças climáticas afetam desproporcionalmente as populações indígenas e outras populações marginalizadas. Seus efeitos estão sendo observados nas ecologias e geografias mais vulneráveis”, afirma o antropólogo e professor do Centro de Estudos da Ásia e África, do Colégio de México (Colmex), Carlos Mondragón. Segundo o professor, lugares como o ártico e outras regiões frias do mundo (Himalaia, Andes, Sibéria, regiões com comunidades circumpolares etc), assim como pequenas ilhas em todos os oceanos do mundo, especialmente no oceano Pacífico, e também áreas desérticas, tais como África subsaariana e partes do Oriente Médio, são as principais representantes das chamadas zonas de linha de frente do clima. Continue lendo Como populações tradicionais ao redor do mundo percebem e são afetadas pelas mudanças climáticas?

Pesquisas buscam manter produtividade da agricultura diante das mudanças climáticas

Por Daniel Pompeu e Luciana Rathsam

Um dos pilares da economia nacional, o agronegócio é responsável por um em cada três empregos no Brasil e por 21,6% do PIB, conforme dados de 2019 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. As mudanças climáticas causadas pelas atividades humanas já vêm acontecendo e tendem a se agravar, e a preocupação com os impactos que tais mudanças podem gerar na produção do campo tem motivado esforços de adaptação agrícola por instituições de pesquisa. É o caso do Centro de Pesquisa em Genômica Aplicada às Mudanças Climáticas (GCCRC, do inglês Genomics for Climate Change Research Center), fruto de parceria entre a Embrapa e a Unicamp, com apoio da Fapesp, que tem a missão de gerar ativos biotecnológicos que promovam a adaptação das culturas agrícolas a condições de altas temperaturas e deficiência hídrica. Continue lendo Pesquisas buscam manter produtividade da agricultura diante das mudanças climáticas