Arquivo da categoria: _dossiê 222

Dossiê Descolonizações

Sobre saberes decoloniais

Por Francielly Baliana

imagem: Mural Presencia de América Latina, de Jorge González Camarena (1964 – 1965) | Casa del Arte, Universidad de Concepción, Chile

Desde a década de 1990 na América Latina, estudos conduzidos principalmente pelo sociólogo peruano Aníbal Quijano e pelo semiólogo argentino Walter Mignolo levaram a uma sistematização cada vez maior de pesquisas que revisitam a noção de poder conceituada a respeito da modernidade e também a partir dela. Ao analisar as manifestações históricas em relação a essa perspectiva, além de suas continuidades e descontinuidades em uma atualidade de virada de século, Quijano (2010) conceitua a ideia de colonialidade do poder para dar nome ao que entende como um padrão de dominação global, uma espécie de face oculta das chamadas civilizações modernas, que tem origens na conquista da América em conformidade com a constituição do modo de produção capitalista. Continue lendo Sobre saberes decoloniais

A perspectiva negra decolonial brasileira: insurgências e afirmações intelectuais

Por Maria Clara Araújo dos Passos

foto: Juca Martins/Olhar Imagem. “Manifestação durante a reunião da SBPC, Salvador, BA, 1981”. Arquivo Edgard Leurenroth/Unicamp

Em um momento de emergência da decolonialidade enquanto projeto teórico-prático que apresenta para o Brasil e toda América Latina e Caribe novas condições de poder, saber e ser, a perspectiva negra decolonial brasileira[1] deve ser posicionada como uma agenda epistêmica que tem descolonizado nossas teorias e práticas educacionais. Continue lendo A perspectiva negra decolonial brasileira: insurgências e afirmações intelectuais

Moda como cultura no Brasil: descolonizar o olhar é preciso

Por Hanayrá Negreiros

Foto: Silvana Mendes | “Atlânticos – Kamafêu de Oxossí” (2019)

O vestir para além das roupas e das tendências das passarelas, quase sempre inalcançáveis pelo grande público, está cada vez mais sendo repensado. Arrisco dizer que a moda, para alguns campos e linhas de pensamento, já está posta em um lugar para se pensar história, cultura e sociedade. Gilda de Mello e Souza[1] em o Espírito das roupas: a moda no século dezenove, de maneira pioneira e amparada pelos conhecimentos da Estética e da Sociologia, nos conduz a ampliar o conceito de moda, nos possibilitando entendê-la como um valioso dispositivo para compreendermos relações de classe e gênero na patriarcal e colonial sociedade euro-norte-centrada do século XIX, dentro e fora do Brasil. Continue lendo Moda como cultura no Brasil: descolonizar o olhar é preciso

DNA dos brasileiros carrega marcas da colonização

Por Ana Augusta Odorissi Xavier

Projetos inéditos de bancos de genomas brasileiros possibilitam avanços em diagnósticos e ajudam a explicar a formação da população Continue lendo DNA dos brasileiros carrega marcas da colonização

Hélio Oiticica e uma vida de oposição ao colonialismo artístico

 Por Daniel Pompeu

“O que o Hélio queria era justamente propor uma arte brasileira de vanguarda com características que colocam em xeque o peso cultural milenar dos europeus e as demandas norte-americanas. Há uma busca e uma vontade centrada em afirmar sua própria terra, o Brasil”, afirma Annelise Estrella Galeazzi, pesquisadora da obra e trajetória do artista. Continue lendo Hélio Oiticica e uma vida de oposição ao colonialismo artístico

Migrações forçadas da era colonial marcam conflitos atuais

Por Mariana Hafiz

Para conquistar independência, países como a Nigéria viveram guerras civis que fizeram parte da população emigrar. Ainda hoje, protestos e busca por melhor qualidade de vida nas antigas colônias refletem esse histórico Continue lendo Migrações forçadas da era colonial marcam conflitos atuais