Arquivo da categoria: artigo

A soberania digital sustentável como base para o futuro da Internet

Por Alexandre Costa Barbosa

O dia é 29 de maio de 2030, o CGI.br completa 35 anos de existência e ocorrem os preparativos para a assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU) de fechamento do ciclo dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS). O desenvolvimento e uso da Internet se tornaram temas transversais à toda Agenda 2030 e o Fórum de Governança da Internet IGF ganhou protagonismo dentro da estrutura da ONU. Os países e setores estão equilibradamente ocupando cargos nos grupos de tomada de decisão e de discussão de temas relacionados à Internet, além de se tornarem lideranças na futura agenda para o planeta e a humanidade. Continue lendo A soberania digital sustentável como base para o futuro da Internet

Governança da Internet: estrutura, conceitos e desafios

Por Vinicius W. O. Santos

 A expressão “governança da Internet” adquiriu diversos sentidos ao longo de sua história, mas para compreender seu(s) significado(s) de fato, é necessário enveredar pela complexidade da rede, analisando sua estrutura, os princípios e conceitos que a regem, além dos desafios persistentes e emergentes do campo. Continue lendo Governança da Internet: estrutura, conceitos e desafios

Embates políticos sobre como a internet deveria se estruturar no Brasil

Por Fabricio Solagna

O Brasil foi precursor do multissetorialismo na forma de composição do Comitê Gestor da Internet. Sua estruturação e sua transformação tem um longo histórico e sempre contou com a colaboração de diversos setores da sociedade. Ao mesmo tempo, as disputas políticas por diferentes grupos sobre como a política deveria funcionar sempre esteve presente Continue lendo Embates políticos sobre como a internet deveria se estruturar no Brasil

Eco-92, 30 anos de uma experiência pioneira de Internet

Por Oona Castro e Carlos Afonso

“O bem estar de um indivíduo e de uma comunidade depende de seu acesso e sua habilidade de aplicar informação. Informação é portanto central no processo de desenvolvimento em todas as sociedades… Desenvolvimentos recentes rápidos em novas tecnologias de informação abrirarm as possibilidades para que as entidades civis possam comunicar-se e compartilhar informação… uma rede global dessa natureza só tem um papel válido a jogar no desenvolvimento se for criado por, ligado a e a serviço de atividades locais. É preciso destacar que o manejo de informação não é um objetivo em si mesmo, mas é simplesmente um elemento essencial na ação para melhoras e resultados sustentáveis concretos na vida dos povos. O manejo de informação e práticas relacionadas de atuação em rede precisam ser orientadas à mobilização de informação, não sua imobilização.”

Extrato do Acordo de Velletri, 1984.[1] Continue lendo Eco-92, 30 anos de uma experiência pioneira de Internet

Apontamentos sobre jornalismo científico em tempos de twitter (ou de seus substitutos escatológicos)

Por Peter Schulz

Em tempos de “comunicação estratégica”, “comunicação como vantagem competitiva” e “impacto [da ciência] nas redes”, faz-se necessário voltar a um papel fundamental na boa comunicação e jornalismo científicos, o da boa e velha fonte. Fonte é, no caso, o pesquisador ou cientista, ou especialista, sobre o assunto colocado em pauta pelo jornalista. Um bom jornalista precisa buscar várias fontes. Caso contrário, a informação passada é, no mínimo, capenga, pode levar à desinformação e, tão ruim quanto, não desperta novas perguntas ao leitor atento. Continue lendo Apontamentos sobre jornalismo científico em tempos de twitter (ou de seus substitutos escatológicos)

Salvar a democracia exige reformas fiscais profundas

Por David Deccache

A crise da democracia coincide com a ampliação acelerada das desigualdades de renda e riqueza, que têm aumentado em quase todos os lugares desde a década de 1980. Não custa lembrar que a década de 1980 é o período que concretizou uma espécie de revolução antikeynesiana, uma reação teórica e política contra o Estado intervencionista e de bem-estar social que marcou a idade de ouro do capitalismo (1945-1973). A recente onda de autoritarismo que observamos no mundo não é mera coincidência: trata-se da manifestação política do esgarçamento do nosso tecido social. Ou encaramos o desafio das reformas ou teremos que lidar com riscos crescentes de rupturas institucionais e democráticas. Continue lendo Salvar a democracia exige reformas fiscais profundas