Arquivo da tag: capitalismo

O livro custa caro? Reflexões sobre preço e valor do livro

Por Haroldo Ceravolo Sereza

A sensação de que o preço do livro é alto deriva não de um aumento real do preço do produto, que se tornou mais barato num momento de aumento de renda dos mais pobres. Ou seja, havia um duplo movimento que favoreceria a percepção do barateamento do livro. Essa percepção não se materializa por uma pressão contrária: nos últimos anos o capitalismo não apenas nos tomou tempo de lazer para transformá-lo em trabalho, mas tomou também tempo de descanso para transformá-lo, por meios digitais, em consumo. Continue lendo O livro custa caro? Reflexões sobre preço e valor do livro

Democracia: crise e possibilidades

Por Luis Felipe Miguel

Compatibilizar a vontade de democracia com a necessidade de representação é o desafio em aberto, porque os representantes são estimulados a prestar contas prioritariamente a detentores de recursos importantes (financiadores de campanha, meios de comunicação), em vez de prestá-las aos seus eleitores. A redução da democracia à competição eleitoral representa o abastardamento do ideal de igualdade política e de soberania popular que era associado a ela. A experiência histórica demonstrou os limites da solução liberal padrão, que é afirmar uma igualdade na lei e julgar que, com ela, as assimetrias presentes na sociedade serão suspensas na política. Continue lendo Democracia: crise e possibilidades

Automação é destino: um mundo envelhecido precisa de robôs

Editorial da revista britânica The Economist, publicado originalmente em 16 de fevereiro de 2019, tradução de Amin Simaika

Em vez de tirar os empregos das pessoas, as máquinas vão ajudar a cuidar delas na velhice. Pesquisa do MIT e da Universidade de Boston mostrou que, entre 1993 e 2014, os países que mais investiram em robótica foram os que estavam envelhecendo mais rápido. Automação não é a única forma de lidar com carência de habilidades – imigração e aposentadoria tardia também ajudam –, mas é uma das mais importantes. Continue lendo Automação é destino: um mundo envelhecido precisa de robôs

Violência subjetiva, objetiva e da linguagem em Žižek

Por Ricardo Whiteman Muniz

A violência é chocante, aprisiona a atenção do respeitável público e dá audiência. Como um sinal da onda anticivilizatória que nos assola, são casos e mais casos por semana, ferindo sensibilidades e rendendo enxurradas de posts indignados no Facebook – tudo isso sem contabilizar as desgraças nas periferias das cidades e do mundo, para as quais, sejamos francos, a maioria não dá a mínima. Violência – Seis reflexões laterais (editora Boitempo) tenta chamar a atenção para dois tipos de violência além da subjetiva, a que faz a festa dos programas policiais de TV. Elas estão convenientemente invisíveis e são: (1) a simbólica, da linguagem enquanto tal – “a imposição de um certo universo de sentido” e (2) a sistêmica – as consequências catastróficas do “funcionamento normal” dos sistemas econômico e político. Continue lendo Violência subjetiva, objetiva e da linguagem em Žižek