Todos os posts de comciencia

Ricardo Antunes: ‘Os jovens de hoje que tiverem sorte serão servos’

Por Suzana C. Petropouleas

Ricardo Coltro Antunes é sociólogo brasileiro e autor de O sentido do trabalho e O novo sindicalismo no Brasil, entre outras obras. Em seu novo livro, O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital (Boitempo, 2018), discute as novas formas em que o trabalho se apresenta num mundo cada vez mais conectado, desregulamentado e complexo, onde servidão e retrocessos frequentemente confundem-se com privilégios e avanços. Continue lendo Ricardo Antunes: ‘Os jovens de hoje que tiverem sorte serão servos’

A “nova informalidade” do mundo do trabalho – Aspectos da reforma trabalhista no Brasil

Por Giovanni Alves [imagem: criação do artista Edu Oliveira]

Diferentemente da velha informalidade, a ausência de registro na carteira de trabalho que garantia direitos trabalhistas e previdenciários, a nova informalidade implodiu a base da regulação propriamente dita: salário, jornada e local de trabalho. Assim, a relação de exploração instaurou novos fundamentos pós-salariais que ocultam os vínculos de subalternidade estrutural entre capital-trabalho. É a negação do capitalismo no interior do próprio capitalismo por meio da ideologia da liberdade e do empreendedorismo. Continue lendo A “nova informalidade” do mundo do trabalho – Aspectos da reforma trabalhista no Brasil

Brasil, país de expulsão? Desemprego e emigração no Brasil

Por Patricia Villen [imagem: Jacob Lawrence, The migration series]

Um elemento que compõe o atual cenário de crise econômica e política no Brasil, e que certamente ganhará importância nos próximos anos, é a produção de emigrantes, brasileiros e não-nacionais. Continue lendo Brasil, país de expulsão? Desemprego e emigração no Brasil

Desafios da educação profissional e tecnológica: novas faces dos mesmos problemas

Por Anthone Mateus Magalhães Afonso e Wania Regina Coutinho Gonzalez

Este artigo apresenta e discute alguns desafios da educação profissional e tecnológica (EPT) na atualidade. A partir de uma análise documental que compreendeu políticas públicas educacionais desenvolvidas desde o início de sua oferta no Brasil e algumas mudanças recentes, constatamos que os novos rumos sinalizados se aproximam de antigas apostas que já tinham sido superadas, o que nos conclama a redobrar a atenção e aprofundar as discussões quanto ao direcionamento da EPT no Brasil. Continue lendo Desafios da educação profissional e tecnológica: novas faces dos mesmos problemas

Ações para promoção da inclusão das pessoas com deficiência nas organizações de trabalho

Por Adriano Henrique Nuernberg

As organizações que vão sobreviver ao futuro da sociedade da informação e do conhecimento são aquelas que, além de sustentáveis, também são inclusivas. Não podemos mais pensar o mundo produtivo sem que ele incorpore o contingente enorme e crescente de pessoas com deficiência, que historicamente foram excluídas do direito ao trabalho ou foram deslocadas para trabalhos precários, estereotipados e desprotegidos. Continue lendo Ações para promoção da inclusão das pessoas com deficiência nas organizações de trabalho

Sete coisas que precisam acontecer antes de termos uma economia sem empregos

Por Larry Alton

Algumas pessoas trabalham toda a vida só para não precisar mais trabalhar. Perseguem um sonho de aposentadoria porque, mesmo “gostando” de seus empregos, ainda se trata de uma responsabilidade obrigatória; temos que trabalhar para pagar comida, abrigo e todas as demais necessidades básicas. Mas e se, um dia, pudéssemos viver em uma “economia sem empregos”, um mundo em que todas aquelas necessidades básicas nos fossem supridas porque já há fartura delas? Parece que tal conceito deveria ser relegado – indefinidamente – ao âmbito da ficção científica, mas alguns especialistas em economia e tecnologia preveem que isso pode ser uma realidade ainda durante o período de nossas existências. Continue lendo Sete coisas que precisam acontecer antes de termos uma economia sem empregos

Trabalho animal: cooperação e especialização na realização de tarefas não são exclusividades humanas

Por Sarah Azoubel Lima

Não é espantoso que animais como golfinhos se beneficiem da interação com seus grupos sociais. Afinal, nós entendemos bem esse tipo de toma-lá-dá-cá. Mas quando se fala em cooperação animal, nem os golfinhos, nem os humanos, ocupam a posição mais extrema no gradiente da socialidade. Continue lendo Trabalho animal: cooperação e especialização na realização de tarefas não são exclusividades humanas